Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Entre Tejo e Sado

Por dentro dos dias e da vida

Por dentro dos dias e da vida

Um retrato sonoro do Concelho do Barreiro Descobrir as paisagens através da escuta dos sons

. Dia 28 de Março Concerto Para Olhos Vendados, pelo artista Luís Antero, baseado inteiramente nos sons recolhidos

Hoje, dia 11 de Janeiro, foi inaugurada no Auditório Municipal Augusto Cabrita a exposição alusiva ao projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul, uma iniciativa da OUT.RA – Associação Cultural.
A exposição vai estar patente até final de Março, oferecerá um pequeno percurso pelas várias fases do projecto, desde a fase inicial de concepção até à audição de alguns dos sons que compõem o arquivo sonoro final.

 

O projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul foi iniciado em 2011 e agora concluído, elaborando um retrato sonoro do Concelho do Barreiro, com especial incidência nas áreas da Reserva Natural Local da Mata da Machada e do Sapal do Rio Coina, bem como em outras zonas da Frente Ribeirinha do Concelho, como a Praia de Alburrica ou o Parque Industrial.

Estas recolhas sonoras, reunidas num arquivo online a lançar em simultâneo com a exposição, pretendem lançar as bases para um entendimento diferente da cidade, através da escuta dos sons característicos dessas áreas, quer sejam as muitas espécies com habitat na Mata da Machada, quer a actividade humana ou industrial, que contribuem para a identidade do Barreiro.

A exposição vai estar patente até final de Março, oferecerá um pequeno percurso pelas várias fases do projecto, desde a fase inicial de concepção até à audição de alguns dos sons que compõem o arquivo sonoro final. 

A exposição contará com visitas guiadas à comunidade escolar, e acolherá, a 28 de Março, um Concerto Para Olhos Vendados, pelo artista Luís Antero, baseado inteiramente nos sons recolhidos por si para este projecto.

O projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul é uma iniciativa da OUT.RA – Associação Cultural, com o apoio da Câmara Municipal do Barreiro e da Baía do Tejo.

Visitas guiadas para escolas
3ª e 5ªs-feiras | 10h00 às 11h00 (máximo 1 turma por visita)

Visitas guiadas para o público em geral
2º e 4º sábados de cada mês | 14h00 às 15h00 (nº mínimo/máximo de inscrições: 6/15 pessoas)
(Atividade gratuita, mediante marcação prévia – informações/marcações 212 147 410 ou cultura@cm-barreiro.pt)

 

TAS-Teatro Animação de Setúbal Estreia «A Estrela de Seis Pontas» de Manuel Tiago

O TAS-Teatro Animação de Setúbal, vai estrear no próximo dia 10 de Janeiro às 22h a sua 122ª produção, “A Estrela de Seis Pontas” de Manuel Tiago.

Este espetáculo, insere-se na comemoração dos quarenta anos do vinte e cinco de Abril e pretende simultaneamente evocar e fuga do dirigente comunista Álvaro Cunhal do Forte de Peniche e o centenário do seu nascimento (embora este último um pouco tardiamente).

“Um preso político convive e abraça os anseios e as lutas de muitos outros presidiários ali fechados por crimes de delito comum, afastados de uma profunda razão de estar preso e sentir em absoluta consciência a perda da liberdade, defender outras ideias e combater com razão outros valores humanos e sociais. 

A dimensão humana, do presidiário, foi sendo transformada através de vários personagens e episódios/situações pontuais, o relato de vida na prisão nos anos de 1940-50 e da resistência dos comunistas à ditadura de Salazar e Marcelo Caetano, das prisões políticas e das perseguições da PIDE/DGS.”

O Texto “Estrela de Seis Pontas” da autoria de Manuel Tiago (Álvaro Cunhal), tem adaptação de Carlos Curto, que o concebeu e dirigiu, e é interpretado pelo Ator José Nobre, contando igualmente com a participação de Carlos Curto.

“A Estrela de Seis Pontas” estará em cena durante o mês de Janeiro às sextas e sábados às 22:00h e domingos às 16:00h. Após o Mês de Janeiro, ficará disponível para digressão.

Associação dos Proprietários do Barreiro Promove conferência sobre reforma do novo regime do arrendamento urbano

. Incidência no mercado de arrendamento barreirense

Um ano após a entrada em vigor da reforma do novo regime do arrendamento urbano, a Associação dos Proprietários do Barreiro vai promover no próximo dia 13 de Janeiro, segunda-feira, pelas 16 horas, no Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro, uma conferência sobre esta temática.

É prelector convidado Luís Menezes Leitão, Professor Catedrático da Faculdade de Direito de Lisboa e Presidente da Associação Lisbonense de Proprietários.

“Mais do que uma prelecção jurídica é uma reflexão sobre uma das questões mais importantes nas sociedades contemporâneas: a propriedade, seus direitos, deveres e os rendimentos que pode gerar” – refere uma nota de imprensa da Associação dos Proprietários do Barreiro.

Incidência no mercado de arrendamento barreirense

“O novo mecanismo de atualização extraordinária de rendas é eficaz e conforme as exigências atuais do mercado? O Balcão Nacional de Arrendamento tornou mais célere os despejos? A relação locatária senhorio - inquilino é hoje mais equilibrada? A reforma só tratou das rendas antigas e dos despejos? Que benefícios ou encargos fiscais têm os proprietários?” – esta algumas das perguntas que serão tema de análise nesta conferência.
“Estas e outras questões, algumas com incidência no mercado de arrendamento barreirense serão abordadas” neste encontro dirigido aos Associados da APB sublinha a associação.

APB conta com mais de mil associados

A Associação dos Proprietários do Barreiro foi fundada em 1932, com as preocupações e objectivos que mantem ainda hoje: rentabilizar a propriedade, assegurando a representação e defesa dos direitos e interesses dos seus associados. 
Ao longo de mais de oito décadas, sempre com sede e em instalações próprias no Barreiro, alargou a sua área de influência contando hoje com mais de mil associados, com imóveis no Barreiro, Moita, Montijo, Seixal, Almada e Sesimbra cuja administração lhes está confiada. 
No distrito de Setúbal a APB só encontra congénere na Associação de Construtores e Proprietários de Setúbal com a qual mantém saudável cooperação. De igual modo tem, nestes mais de oitenta anos de vida, encontrado na Associação Lisbonense de Proprietários uma disponibilidade de colaboração activa e profícua que a todos tem enriquecido.

Eusébio também é um nome ligado ao Barreiro terra do futebol Arrastou uma multidão na Barrind em 1989 . Eugénio Silva autor de banda desenhada

A Adelaide Coelho, numa nota que colocou na sua página do facebook, recorda como um dia, no ano de 1989, de súbito, quando estava de serviço na BARRIND – Exposição Comercial e Industrial, no Pavilhão da Rádio Margem Sul, extinta rádio do Barreiro, o espaço ficou subitamente cercado de uma multidão.

Outra recordação que tenho de Eusébio é ligado à banda desenhada da sua biografia, que teve uma sessão de lançamento no Barreiro, pois, o seu autor é Eugénio Silva, artista do Barreiro, um dos nomes que faz desta terra, também, uma referência no mundo da ilustração, quer no passado, quer no presente.

A Adelaide Coelho, numa nota que colocou na sua página do facebook, recorda como um dia, no ano de 1989, de súbito, quando estava de serviço na BARRIND – Exposição Comercial e Industrial, no Pavilhão da Rádio Margem Sul, extinta rádio do Barreiro, o espaço ficou subitamente cercado de uma multidão.
“O culpado de tanta movimentação era o Eusébio” – recorda. 
De imediato procurou criar condições para fazer um directo para a rádio, - “tive o privilégio de falar em directo com a Pantera Negra”- refere.
Comentei. Que recordo esse dia. A visita de Eusébio à Barrind, onde esteve a convite do empresário Rui ( da firma Alves& Rui).
Conversei com Eusébio. Tirámos as fotos da praxe. Guardei como relíquia as suas fotografias autografadas, que me foram dirigidas.
Foi a primeira e única vez que conversei com Eusébio, mas reconheci um homem muito comunicador, simpático e de grande humildade. Essa foi a imagem que guardei dele. Um Senhor!

Só o vi jogar ao vivo uma vez, no Estádio de Alvalade, num Sporting- Benfica, cujo resultado final nem sei. Assisti no peão, ainda um espaço aberto, zona sem as bancadas que só foram construídas anos depois.
Nesse jogo, quando a equipa do Benfica entrou em campo, meu pai deu um grito potente e disse – “Oh Sóina!”.
O Cavém do meio do campo olhou e dirigiu-se até nós abraçando o meu pai e pegou em mim nos braços. Eles tinham sido da mesma equipa – O Celeiro - dos Torneios Populares de Vila Real de Santo António. Tenho uma fotografia dessa equipa.
Foi a única vez que vi jogar ao vivo Eusébio. Dele recordo, com muita emoção, aqueles dias do Mundial de 66, quando na televisão a preto e branco, vibrei com os jogos inesquecíveis.
O Café Janelas Verdes, em Vila Real de Santo António, virava um estádio de futebol, com mesas previamente marcadas e a do meu pai e seus amigos era uma mesmo na frente da televisão.

Outra recordação que tenho de Eusébio é a banda desenhada que teve uma sessão de lançamento no Barreiro, pois, o seu autor é Eugénio Silva, artista do Barreiro, um dos nomes que faz desta terra, também, uma referência no mundo da ilustração, quer no passado, quer no presente.

Eusébio, era para muitos de nós um exemplo de vida, de alguém que conta com o seu talento, e constrói a sua vida dando o melhor com o seu talento, no terreno e na prática.

Hoje, em conversa com José Augusto, o magriço do Barreiro, que jogou com Eusébio, quer no Sport Lisboa e Benfica, quer na selecção nacional, ele referia que – “Eusébio era um motivador de toda a equipa”.
Isso é próprio de um homem culto. Só um homem culto é exemplo para outros e estímulo de uma equipa.
Não me apetecia entrar nesta onda nacional de comentários e ditos sobre Eusébio, um homem que marcou gerações, um dos símbolos dos «três efes» que muitos de nós recordamos de antes do 25 de Abril.

Mas, depois de ler e escutar, certas palavras, não resisti e decidi escrever este a(nota)mentos, apenas para citar Bento Jesus Caraça, que escreveu o seguinte: “Ser-se culto não implica ser-se sábio, há sábios que não são homens cultos e homens cultos que não são sábios”.

“Eusébio era um motivador de toda a equipa”- referia José Augusto, sendo um exemplo para todos no campo a jogar e nos treinos.
É um ídolo para os novos. É um ícone do país. Ficará como uma referência…bem exemplificada na Banda desenhada de Eugénio Silva.

Por aqui me fico…apenas dizendo: Obrigado Eusébio! 

António Sousa Pereira

Foto - Capa do livro de Eugénio Silva - Biografia de Eusébio em Banda Desenhda

 

http://www.rostos.pt/inicio2.asp?cronica=1000061&mostra=2

Sessão Solene 146ª aniversário da SFAL Um encontro de gerações

Realizou-se, ontem à tarde, a Sessão Solene evocativa do 146º aniversário.

Uma tarde para guardar na memória, em mais um encontro de gerações.

 

No Salão D. José Carcomo Lobo decorreu, hoje à tarde, a Sessão Solene evocativa do 146º aniversário da SFAL.

A sessão começou com uma brilhante actuação da Banda "Os Cruzados", seguindo-se o Hino da SFAL com a entrada do estandarte da colectividade transportado pelas atletas da Classe de Acrobática.
O TISFAL distribuiu balões e evocou bem alto o grito - «Viva a SFAL».

A sessão continuou com a entrega de emblemas de prata, aos associados que completaram 25 anos de vida associativa e de 50 anos, aos que completaram 50 anos de vida associativa.

Foram entregues as Distinções SFAL em diversas áreas.

Na sessão a União de Freguesias do Barreiro e Lavradio esteve representada por Ana Porfirio, presidente da Junta de Freguesia e a Câmara Municipal do Barreiro foi representada pelo Vereador Rui Lopo.
A Federação de Campismo e Caravanismo marcou presença com o seu presidente.

VER FOTOS NO FACEBOOK DA SFAL

No Auditório Municipal Augusto Cabrita - Barreiro Exposição alusiva ao projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul

No sábado, dia 11 de janeiro, pelas 16h00, inaugura no Piso 1 do Auditório Municipal Augusto Cabrita (AMAC) uma exposição alusiva ao projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul, uma iniciativa da OUT.RA – Associação Cultural, com o apoio da Câmara Municipal do Barreiro e da Baía do Tejo. A mostra, com entrada livre, pode ser visitada de terça-feira a sábado, das 14h00 às 20h00.

sonoro do Concelho do Barreiro, com especial incidência nas áreas da Reserva Natural Local da Mata da Machada e do Sapal do Rio Coina, bem como em outras zonas da Frente Ribeirinha do Concelho, como a Praia de Alburrica ou o Parque Industrial.



Estas recolhas sonoras, reunidas num arquivo online, pretendem lançar as bases para um entendimento diferente da cidade, através da escuta dos sons característicos dessas áreas, quer sejam as muitas espécies com habitat na Mata da Machada, quer a atividade humana ou industrial, que contribuem para a identidade do Barreiro.

A exposição, patente até final de março, oferecerá um pequeno percurso pelas várias fases do projecto, desde a fase inicial de conceção até à audição de alguns dos sons que compõem o arquivo sonoro final. Contará com visitas guiadas à comunidade escolar, e acolherá, no seu encerramento, um Concerto Para Olhos Vendados, pelo artista Luís Antero, baseado inteiramente nos sons recolhidos por si para este projecto.

No mesmo dia da inauguração, será exibido o filme documental realizado em acompanhamento do projecto, e que traduz, visualmente, todo o trabalho desenvolvido na recolha deste património imaterial do Concelho.

SFAL - Sociedade Filarmónica Agrícola Lavradiense - Barreiro Sessão Solene 146º aniversário hoje dia 4 de Janeiro

. A mais antiga colectividade do concelho do Barreiro


A Sessão Solene evocativa do 146º aniversário da SFAL - Sociedade Filarmónica Agrícola Lavradiense, no concelho do Barreiro, vai realizar-se hoje, dia 4 de Janeiro, pelas 16 horas, no Salão D. José Carcomo Lobo.

No decorrer da Sessão Solene serão entregues 3 emblemas de ouro aos associados que completaram 50 anos de vida associativa e 16 emblemas de prata a associados que completaram 25 anos de vida associativa.

A Direcção daquela colectividade aprovou também a entrega das «Distinções SFAL» que assinalam o final do mandato e visam distinguir personalidades, associados, atletas e entidades que deram um contributo para o desenvolvimento e valorização da SFAL.

Em Santo André – Barreiro «Vamos Cantar as Janeiras»

A União das Freguesias do Alto do Seixalinho, Santo André e Verderena promove no próximo dia 5 de Janeiro de 2014, pelas 15h30, no Futebol Clube da Quinta da Lomba, o evento «Vamos Cantar as Janeiras», com a participação do Grupo Coral da ARPISA e Grupo Coral e Instrumental de Santo André.

«Vamos Cantar as Janeiras», com a participação do Grupo Coral da ARPISA e Grupo Coral e Instrumental de Santo André, uma iniciativa da União das Freguesias do Alto do Seixalinho, Santo André e Verderena, para manter vivas as tradições.

Semana do Barreiro na Casa do Alentejo Uma semana animada com música e canto, exposições, colóquio e massagens terapêuticas

De 4 a 12 de Janeiro vai realizar-se na Casa do Alentejo, em Lisboa, a «Semana do Barreiro», cuja abertura está agendada para dia 4 de Janeiro, pelas 14h30, com inauguração das exposições e espaços, seguindo-se uma «Tarde de Canto e Música». 

Programa

Dia 4 de Janeiro

14.30 - Abertura de Exposiçao e Espaços ( Páteo)

15.00 - Tarde de Música e Canto
. Intervenções : Oragnização, Casa do Alentejo e Câmara Municipal do Barreiro

- Grupo Coral da Associação de Reformados Pensionistas e Idosos de Santo André
- Tuna da Universidade da 3ª Idade do Barreiro
- Grupo Coral e Instrumental de Santo André
- Grupo de Cantares «Modalentejo»
- Grupo Coral Alentejano «Amigos do Barreiro»

21.00 - Noite Musical (Bar ou Páteo)

- Banda Planeta Quadrado
- Harpista Eva Guerra

Abertura de Exposição de Artistas Plásticos ( Bar)
. Bruno Contrieras
. Hugo Cão
. Pedro Silva

23 horas - Encerramento

Dia 9 de Janeiro

21 horas «O Alentejo no Barreiro» ( Salão)

Intervenção : Armando Teixeira

Testemunhos: Custódio Neves, Palma Caldeireiro e José Castro
- Animação: Grupo Coral Alentejano «Unidos do Lavradio»

23 horas - Encerramento

Dia 10 de Janeiro
21.00 - Workshop «Geometria Emocional" - Sala de Leitura
Subtrair stress, multiplicar tempo, exponenciar inteligência emocional
Formadora - Cláudia Costa

23 horas - Encerramento

Dia 11 de Janeiro
15.00 - Tarde de Canto e Música ( Salão)
Intervenções : Organização e Juntas de Freguesia do Concelho do Barreiro

. Charanga «Rufar Nova Geração" do Lavradio
. Grupo Coral Alentejano «Unidos do Lavradio»
. Grupo Coral de Acção de Reformados do Barreiro
.Grupo Coral e Musical «Gente que Canta»
. Rancho Folclórico Regional do Lavradio

21.00 - Noite Musical ( Bar ou Páteo)
. Banda Funkaina
.Macaco Rápido e Hugo Cão

17.0 às 23.00 - Animação (Espaços da Casa do Alentejo)
Animadores : Susana Oliveira e Diogo Correia

23.00 Encerramento

Exposições
4 a 12 de Janeiro
Páteo e Anexos
. Paulo Heleno - Instalação
. José António Estiveira - Fotografia
. Francisco Colaço e alunos da UTIB - Pintura
. Paulo Lameira - Pintura
. Câmara Municipal do Barreiro - «Rota do Trabalho e da Indústria»

Espaço Bem Estar
4,5,11 e 12 de Janeiro
15.0 às 19.00 (Páteo)
Massagens Terapeuticas
Especialistas - Samira Nascimento

Venda de Livros
Alfarrabista : Anabela Teixeira

Quotidianos A nossa impotência…perante imagens do meu país e do mundo!

O ano novo começou, mas as imagens do quotidiano repetem-se. Ali, naquele lugar, quase diariamente, lá está, aquele homem, rebuscando, remexendo o lixo, na procura de qualquer coisa para sobreviver.

Dói. E sentimos a nossa impotência…perante estas imagens do meu país e do mundo!

Hoje o ano começou. Sai de casa e escutei os sons das gaivotas em terra. Está mau tempo, céu nublado e os pingos de chuva, marcam este dia do novo ano 2014.

De súbito recordei a minha infância, aqueles dias, onde, diariamente, convivia com as gaivotas, ali nas margens do Guadiana. Mal, abria a porta da minha casa, tinha o rio na minha frente e na outra margem Espanha.

“Sim, gaivotas em terra é sinal de vendaval” – pensei.

Olhei em redor. O dia estava silencioso. E a primeira imagem que registei neste dia, começo de 2014, foi aquele homem, junto ao contentor, na procura de algo para sobreviver.

Que mundo é este? São imagens do meu país, mas é uma imagem que podia ser recolhida em qualquer canto deste planeta, neste mundo de cifrões, de modelos que colocam acima de tudo os números e esquecem o ser humano.

Sentimos a impotência. Fui com a imagem no pensamento.

 

Segui. Encontrei amigos. Beijei. Cumprimentei. Os tradicionais votos de um bom ano Novo.

Uns sentidos com o afecto de quem partilha os dias em aventuras e lutas. Outros meramente circunstanciais.

 

Começou o novo ano. Tempo que assinalamos como uma marca de um novo recomeço.

Há sempre mudanças. São mudanças cronológicas. Mas há algo que não muda, o nosso viver psicológico, o nosso tempo intemporal que se perde na memória dos dias vividos.

Sentimos a alegria de chegar a um novo ano, nesta caminhada que, afinal, todos sabemos para onde vamos…ali para a eternidade!

 

Estamos em 2014 e faço apenas um voto, para mim e para todos que comigo partilham este tempo.

VAMOS AO 2014! AGARRÁ- LO! E CONSTRUIR UM DIA, TODOS OS DIAS!

 

 António Sousa Pereira

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Links

COMUNICAÇÃO SOCIAL

AUTARQUIAS

ESCOLAS

EMPRESAS

BLOGUES DO BARREIRO

ASSOCIAÇÔES E CLUBES

BLOGUES DA MOITA

SAPO LOCAL

PELO DISTRITO

CULTURA

POLITICA

TWITTER

FACEBOOK ROSTOS